Notícias

Estudo científico aponta desaparecimento de quelônios da espécie tracajá no rio Araguari

Segundo os pesquisadores o motivo é o impacto ambiental causado pela construção da barragem da empresa hidrelétrica Cachoeira Caldeirão

Imagem internet

 

Pesquisadores do programa de pós-graduação em Biodiversidade Tropical, professores da Universidade Federal do Amapá (Unifap), Darren Norris e Fernanda Michalski, apresentaram estudo que revela os impactos ambientais causados com a construção da barragem da empresa hidrelétrica Cachoeira Caldeirão. A reunião para apresentação aconteceu no Complexo Cidadão Zona Norte, na sexta-feira, 19, com a presença do promotor de justiça da Comarca de Porto Grande, Wueber Penafort, assessor técnico do Ministério Público do Amapá (MP-AP), Alcione Cavalcante, representantes da Secretaria de Estadual de Meio Ambiente (Sema), Ibama e Instituto de Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Amapá (IMAP).

 

De acordo com os pesquisadores, o reservatório da empresa enche 20 km a mais do que previsto no EIA/RIMA, e o desaparecimento do quelônio da espécie tracajá é apontado como um dos efeitos após a instalação da barragem. Desde 2011 os docentes e discentes da pós-graduação monitoraram cerca de 150 km dos rios Araguari e Fausino, para avaliarem a  formação de ninhos e desova de tracajás. Eles identificaram que após a instalação da barragem, 41 praias foram alagadas, e 106 sítios de nidificação ficaram submersos com o preenchimento do reservatório. Outra constatação do estudo é relacionada à população, que sofre os efeitos da hidrelétrica com as inundações do rio Araguari, que afetam residências e plantações.

 

Hidrelétrica Cachoeira do Caldeirão rio Araguari (Imagem Internet)

O promotor de justiça Wueber Penafort esclareceu que a promotoria já recebeu denúncia de moradores a respeito do aumento no nível do rio, resultado da instalação da empresa Cachoeira Caldeirão, que está causando inclusive o aparecimento de caramujos. Quanto ao licenciamento, Cleane Pinheiro, do IMAP, disse que em casos como este há uma licença específica, e que está em andamento uma nova análise do processo de licenciamento, e que dia 25 haverá uma reunião para tratar do assunto.

estudo revela os impactos ambientais causados com a construção da barragem da empresa hidrelétrica Cachoeira Caldeirão.

 

O promotor Wueber Penafort afirmou que a conclusão dos estudos é impactante, e caso seja comprovado o dano ambiental, o MP-AP irá cobrar compensação ambiental, e Reparação Civil e Penal. Ele pontuou que o caso não requer mais confirmar de quem é a responsabilidade, uma vez que os fatos estão comprovados,  e que é preciso achar uma solução. Ele irá aguardar que todos os representantes de instituições tomem conhecimento do estudo científico e respostas do IMAP e da Cachoeira Caldeirão, para que apresentem alternativas. No próximo dia 29 de outubro haverá uma nova reunião através de videoconferência.

 

SERVIÇO:

 

Mariléia Maciel – Assessora técnica da Prodemac
Assessoria de Comunicação do Ministério Público do Amapá

 

Colunistas

Geek Inclusiva
Geek Inclusiva (8)

Me chamo Alice Caroline, sou deficiente visual, paratleta, apaixonada por atletismo, estudante do ensino médio e amante do mundo geek e dublagem. Inclusão vai além de rampas e placas de escrita braile.

Lemana
Lemana (1)

Centro LEMANA - Lar Espírita Maria de Nazaré, localizado no Macapá-AP. Uma Instituição vinculada a Federação Espírita Brasileira que tem por objetivo principal a prevenção e a posvenção ao suicídio e a assistência aos enlutados e sobreviventes. Existimos desde maio de 2018

Poetas Azuis
Poetas Azuis (4)

Grupo lítero-musical amapaense formado pelos poetas Pedro Stkls e Thiago
Soeiro. Desde 2011 trabalham na divulgação da poesia por meio das
apresentações cênicas e também nas redes sociais. Atualmente o grupo reúne
mais de 100 mil seguidores no Instagram

Publicidade