Notícias

Mineradora inicia cumprimento de TAC de R$ 8 milhões celebrado com o MPF

Empresa se comprometeu a doar 18 mil cestas básicas a comunidades carentes. Primeira remessa foi entregue à organização Cáritas na sexta-feira (15) em Macapá (AP)

 

Resultado de Termo de Acordo de Composição (TAC) celebrado com o Ministério Público Federal (MPF), a empresa Mina Tucano entregou, na sexta-feira (15), mil cestas básicas à Cáritas Diocesana de Macapá (AP). A remessa faz parte do compromisso assinado pela mineradora que deve destinar, num período de 3 meses, mais de R$ 2 milhões em gêneros alimentícios a serem doados para comunidades carentes. Homologado pela Justiça Federal em dezembro de 2020, o TAC busca indenizar graves danos provocados pela atividade minerária a sítios arqueológicos localizados em Pedra Branca do Amapari (AP).

 

No total, cerca de 18 mil cestas básicas devem ser entregues a famílias dos municípios de Pedra Branca do Amapari e Serra do Navio e da região metropolitana de Macapá. Além dos alimentos, o acordo também prevê que a empresa Mina Tucano invista cerca de R$ 6 milhões, até o final de 2021, em medidas socioambientais, que incluem promoção da educação e capacitação da população de Pedra Branca e Serra do Navio.

 

Até junho deste ano, as medidas socioambientais que vão receber esses recursos serão definidas de forma consensual entre o MPF e a mineradora. Caso a definição não ocorra no prazo, a empresa Mina Tucano, para fins de cumprimento da obrigação assumida, deve depositar judicialmente os valores acordados. O mesmo deve ocorrer em relação às cestas básicas; caso não seja possível concluir a aquisição ou entrega dos alimentos, a empresa deverá comunicar o MPF e fazer o depósito do valor correspondente em juízo.

 

Danos – Entre 2007 e 2009, foram identificados 37 sítios arqueológicos pelos técnicos do Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Amapá (Iepa) na área de atividade das mineradoras Beadell Brasil LTDA, atual Mina Tucano, e Zamin Amapá Mineração, em Pedra Branca do Amapari. Desse conjunto, 19 sítios arqueológicos foram classificados como destruídos, muito impactados ou parcialmente impactados pelas práticas de sondagens geológicas, aberturas de acesso e de ramal com desmatamento, dentre outras, realizadas por parte das mineradoras exploradoras da área, sem a efetivação dos estudos arqueológicos.

 

Em 2016, o MPF ingressou com ação contra as duas mineradoras e contra o estado do Amapá pedindo o pagamento de indenização por danos patrimoniais e morais coletivos ocasionados à sociedade pela lesão ao patrimônio histórico. Quanto ao estado do Amapá, a responsabilidade civil ambiental decorre do fato de ter licenciado empreendimento minerário de grande impacto ambiental sem o devido, correto e prévio Estudo de Impacto Ambiental e Diagnóstico e Resgate Arqueológico, em flagrante desrespeito à legislação ambiental e de proteção do patrimônio arqueológico nacional. Com o TAC celebrado, o processo judicial foi extinto em relação à Mina Tucano, mas continuará em trâmite contra a mineradora Zamin Amapá Mineração e o contra o estado do Amapá.

 

Nº do Processo: 0005679-66.2016.4.01.3100

 

Assessoria de Comunicação Social

Ministério Público Federal no Amapá

Colunistas

Geek Inclusiva
Geek Inclusiva (7)

Me chamo Alice Caroline, sou deficiente visual, paratleta, apaixonada por atletismo, estudante do ensino médio e amante do mundo geek e dublagem. Inclusão vai além de rampas e placas de escrita braile.

Allison Veríssimo
Allison Veríssimo (1)

Allison Veríssimo das Chagas Lobato, filho de Ailson e Verá, Tucuju com muito orgulho, Bacharel em Direito, lutador de Taekwondo aposentado, aprendiz de poeta e um cômico da vida. Para os íntimos, o Tio Alho, para o mundo, apenas um cara feliz e de bem com a vida.

Lemana
Lemana (1)

Centro LEMANA - Lar Espírita Maria de Nazaré, localizado no Macapá-AP. Uma Instituição vinculada a Federação Espírita Brasileira que tem por objetivo principal a prevenção e a posvenção ao suicídio e a assistência aos enlutados e sobreviventes. Existimos desde maio de 2018

Poetas Azuis
Poetas Azuis (4)

Grupo lítero-musical amapaense formado pelos poetas Pedro Stkls e Thiago
Soeiro. Desde 2011 trabalham na divulgação da poesia por meio das
apresentações cênicas e também nas redes sociais. Atualmente o grupo reúne
mais de 100 mil seguidores no Instagram

Publicidade