Notícias

Recém-revitalizada pela Prefeitura de Macapá, rotatória da Rua Hildemar Maia é alvo de furto de plantas ornamentais e cabos elétricos

Foto: Asscom PMM

A revitalização e a iluminação da rotatória da Rua Hildemar Maia, no bairro Beirol, foram concluídas pela Prefeitura de Macapá na última sexta-feira, 10. Já na madrugada desta segunda-feira, 13, a Secretaria Municipal de Iluminação Pública, durante vistoria de rotina, constatou vários atos de vandalismo no local.

 

Um Boletim de Ocorrência já foi registrado para que o caso seja apurado. Houve depredação e furtos de cabos elétricos, projetores de LED (14 unidades), bases de projetores e rede elétrica subterrânea, que faziam parte da iluminação pública de destaque da rotatória, todas instaladas no dia anterior. “Esse tipo de crime prejudica os usuários e gera gastos ao poder público, porque os cabos têm que ser repostos para que a iluminação seja restabelecida”, explica o secretário de Iluminação Pública de Macapá, Wilton Favacho.

 

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Postura Urbana, responsável pelo paisagismo da cidade, também foi notificada sobre o fato, devido ao furto de duas palmeiras da espécie cica e oito mudas de torênia. “Não é a primeira vez que é preciso fazer a reposição de plantas por conta de furtos. O paisagismo da rotatória da Hildemar Maia foi concluído e entregue à população há pouco mais de dois dias. O lugar é patrimônio público, é um bem de toda sociedade, deve ser usufruído e conservado de forma coletiva. Todos devem ter essa conscientização”, pondera o secretário municipal de Meio Ambiente, Márcio Pimentel.

 

Restabelecimento

 

Sobre o furto de materiais que comprometeram o sistema de iluminação pública, o programa Macapaluz irá fazer um levantamento e providenciar os reparos dos danos, o que levará algum tempo. A Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Sustentável e Postura Urbana também deverá repor as plantas levadas da rotatória.

 

O que diz a Lei

 

Art. 155 – Subtrair, para si ou para outrem, coisa alheia móvel: pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa. Lei nº 9.605 de 12 de fevereiro de 1998: Art. 49 – Destruir, danificar, lesar ou maltratar, por qualquer modo ou meio, plantas de ornamentação de logradouros públicos ou em propriedade privada alheia: pena – detenção de três meses a um ano, ou multa, ou ambas as penas cumulativamente. Parágrafo único: no crime culposo, a pena é de um a seis meses ou multa.

 

Secretaria de Comunicação de Macapá

Mônica Silva

Assessora de comunicação

 

Colunistas

Geek Inclusiva
Geek Inclusiva (6)

Me chamo Alice Caroline, sou deficiente visual, paratleta, apaixonada por atletismo, estudante do ensino médio e amante do mundo geek e dublagem. Inclusão vai além de rampas e placas de escrita braile.

Aline Brito
Aline Brito (9)

Jornalista, assessora de comunicação, apaixonada pela vida e mãe.

Allison Veríssimo
Allison Veríssimo (1)

Allison Veríssimo das Chagas Lobato, filho de Ailson e Verá, Tucuju com muito orgulho, Bacharel em Direito, lutador de Taekwondo aposentado, aprendiz de poeta e um cômico da vida. Para os íntimos, o Tio Alho, para o mundo, apenas um cara feliz e de bem com a vida.

Hellen Cristine
Hellen Cristine (45)

Jornalista, mamãe do Heitor e amante da vida!

Poetas Azuis
Poetas Azuis (3)

Grupo lítero-musical amapaense formado pelos poetas Pedro Stkls e Thiago
Soeiro. Desde 2011 trabalham na divulgação da poesia por meio das
apresentações cênicas e também nas redes sociais. Atualmente o grupo reúne
mais de 100 mil seguidores no Instagram

Publicidade